IRRECONHECÍVEL, MARAJÓ FAZ LUTA MONÓTONA E PERDE POR PONTOS PARA ALEJANDRO PEREZ

Por Agnaldo Rios 10/12/2017 - 13:13 hs

Iuri Marajó tem 16 lutas pelo Ultimate na carreira. E, neste sábado, no UFC Fresno, protagonizou um dos piores confrontos de sua trajetória na organização. Irreconhecível, o brasileiro perdeu para o peso-galo Alejandro Perez, na decisão unânime (30-27, 29-28 e 29-28) pela terceira luta do card preliminar.

Sem ímpeto ofensivo, o lutador de Belém, no Pará, foi apenas tímido no octógono. Faixa-preta de jiu-jítsu, dono de boa trocação e hábil nas quedas, o brasileiro amargou o segundo revés consecutivo na organização - ele havia perdido para Brian Kelleher, no UFC Rio 8, em junho. Perez, que pela primeira vez encarou um adversário mais qualificado, está invicto desde novembro de 2015.

A luta

Alejandro Perez e Iuri Marajó travaram um primeiro round extremamente cauteloso - a ponto de o discreto público na arena vaiá-los. Os lutadores ainda esboçaram uma movimentação na trocação - o paraense tentou uma joelhada voadora a cinco segundos do fim. Foram cinco minutos mornos, muito aquém do esperado. Perez foi ligeiramente mais combativo em pé, entretanto, bem longe de levar clara vantagem.

No segundo round, ambos trocaram golpes timidamente. Marajó desferiu um chute, Perez marcou o tempo e o atacou. O paraense acertou um bom direto e foi encorajado por seu córner a investir no golpe. Iuri Marajó tentou encurtar a distância, o mexicano ameaçou a queda, porém não conseguiu. As vaias surgiram novamente, tamanha a passividade dos atletas. Marajó cinturou, foi jogado para o lado, e o cronômetro zerou. Foram mais cinco minutos de monotonia.

A etapa final se desenrolou da mesma forma, com atletas se estudando, soltando golpes com timidez e sem contundência. Alejandro Perez, na metade do round, desequilibrou o brasileiro ao acertá-lo no rosto. Iuri Marajó, que de acordo com estatística do UFC tem a quarta melhor média de quedas da organização, pouco tentou levar o mexicano ao chão. Faltando 1m38s, Perez, que teoricamente deveria evitar o solo, procurou quedar o paraense, que recebeu uma "banda" ao chutá-lo na perna de apoio. Faltando 30 segundos para o fim, Perez acertou um cruzado de dirreita, que fez o rival sofrer o flashdown. O mexicano faturou a vitória, no entanto, foi protagonista de um combate para lá de modorrento.

Frankie Saenz supera Merab Dvashvili nos pontos

A sequência de três derrotas consecutivas fez Frankie Saenz entrar no octógono com a "corda no pescoço". E, embora não tenha feito um grande combate, o americano venceu Merab Dvashvili por decisão dividida (29-28, 28-29 e 29-28), salvando seu emprego no Ultimate.

Saenz assinalou a 12ª vitória de sua carreira - a quarta pelo UFC. O seu último triunfo havia sido contra Sirwan Kakai, em agosto de 2015. Estreante no Ultimate, Dvashvili, que vinha embalado por seis resultados positivos, começou sua caminhada na companhia com o pé esquerdo.

Perez liquida Carls John de Tomas no chão

A vitória do peso-galo Alex Perez ficou próxima de acontecer no primeiro round, quando ficou perto da submissão atravésda, defendida por Carls John de Tomas. Na segunda etapa não houve jeito: Perez encaixou e finalizou o oponente a 1m54s do segundo round com um triângulo invertido.

Estreante na organização, Perez inicia bem sua trajetória e assina sua sexta vitória seguida. Já Carls John de Tomas perdeu nos dois confrontos realizados no Ultimate.

Soukhamthath espanta a má fase e despacha Sanders

Na corda-bamba depois de duas derrotas seguidas, Andre Soukhamthath respirou aliviado contra Luke Sanders. "The Asian Sensation" venceu o adversário por nocaute técnico a 1m06s do segundo round, em combate pelo peso-galo.

Soukhamthath acertou uma bomba, que levou Sanders ao chão. O lutador, então, partiu com tudo para cima do adversário, que estava grogue no solo. Com uma saraivada de golpes, obrigou Josh Rosenthal a interromper o confronto, levando "The Asian Sensation" ao delírio por sua primeira vitória no evento. Sanders reclamou da intervenção da arbitragem por considerá-la prematura, porém, o resultado já estava decretado.